quinta-feira, 16 de novembro de 2017

GAROA DO RECÔNCAVO - BRINCANDO DE BRASIL


Ação voltada para a família. Pelo movimento "Garoa do Recôncavo" da Casa Mestre Ananias, a proposta é inspirada no universo do Samba de Roda do Recôncavo Baiano e nos cantos de trabalho de sertão da Bahia. Brincadeiras são realizadas junto às crianças valorizando os povos rurais, suscitando formas coletivas de pensar e viver em uma sociedade tão urbanizada.

Brincando de Brasil (Sesc São José dos Campos)

Cada vez mais distantes da nossa música e cultura são as nossas heranças de matriz africana. A Casa Mestre Ananias e o movimento Garoa do Recôncavo prezam o legado do nosso Mestre em um processo de resistência à pressão de um mercado que transforma e se aprimora em suas caricaturas culturais.

Minhoca e João (Sesc São José dos Campos)


A Casa entende por tradição processos e construções dadas em um território ou comunidade através dos tempos.

Valores são transmitidos pelas vivências cotidianas em diversas áreas das relações humanas. A música é resultado onde certas nuances se expressam nas manifestações da cultura popular e os saberes são sempre transmitidos do mais velho para o mais novo.





Mestre Ananias e Minhoca (Sesc Vila Mariana)


Nosso Mestre Ananias dizia que tinha que ter raça para estar no nosso meio. Tanto repetiu certas coisas sobre esse mundo que somente agora, na sua ausência física, fazem sentido.

Talvez (ou certamente), alguns sabores da tradição somente sejam experimentados após determinada idade e rumo que nosso olhar toma no presente e só têm relação direta ao olhar do passado.  






Sob seu olhar, Mestre Ananias, sua Casa se mantém. Continuaremos esse sonho coletivo que busca aproximar pessoas para além dos talentos individuais e convenções distanciadas do "prazer" e do amor. 
  

domingo, 12 de novembro de 2017

MUSEU AFRO... E NOSSAS CRIANÇAS







Imagens que nos transportam a uma das mais tristes histórias da humanidade. 

Estrutura dos navios negreiros, senzalas, instrumentos de tortura, algemas, correntes entre outras tantas representações cruéis chegam a embrulhar o estômago.

Em mais uma visita ao Museu Afro (2 novembro), a sensação de terror fica no ar e os comentários das crianças nos mostra a importância do passeio 


SIM É NOSSA OBRIGAÇÃO sensibilizarmos as crianças no que diz respeito à escravidão negra no Brasil.



Mas sobretudo, devemos chamar atenção para a contribuição do negro (subjugada) nesse caldeirão de influências que é o nosso povo. O brilho do brasileiro para o mundo tem o tempero da criatividade e desse jeito generoso de transformação que integra o céu e a terra. O segredo das formas coletivas de pensar, viver, construir e recriar se escondem nas suas inúmeras expressões culturais, em nosso caso a Capoeira e o Samba.


Parabéns as professoras Fê Guimarães (artes) pela iniciativa e Morgana (teatro) pelo envolvimento de sempre. Um dia de feriado no Parque do Ibirapuera com olhar certo!

fotos João Pedro  

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

VI OFICINA Samba Chula em Trans Missão

Samba Chula em Trans Missão é um processo proposto por Katharina Doring e patrocinado pelo Fundo de Cultura do Estado da Bahia para circulação de Mestres do Samba Chula do Recôncavo Baiano em Porto Alegre (Africanamente), São Paulo (Guerreiros de Senzala e Casa Mestre Ananias), Rio de Janeiro (Reconca Rio e Capoeira Angola Marrom e Alunos) e Belo Horizonte (Roda Cultural do Parque). O projeto parte da Cartilha do Samba Chula, obra que registra os Mestres desse patrimônio cultural em 1 livro didático, 2 cds e 1 dvd patrocinado pelo Natura Musical. 


A Cartilha foi lançada em São Paulo em novembro de 2016 com a vinda dos Sambadores na Casa Mestre Ananias pelo movimento São Paulo é Bahia Viva dos Pontos de Cultura. 


Agora, aí vem nossos Mestres nessa jornada para mais uma Oficina na Casa Mestre Ananias. Mestres(a) Nelito, Paião, Elcinho, Aurino, Góes, Zelita acompanhados da pesquisadora Katharina Doring e Cássio Nobre, também violeiro.

Mais uma chance de compreensão do nosso movimento de Samba de Roda aqui em São Paulo. 

Reserva e inscrições pelo casamestreananias@gmail.com no valor de R$ 60 com direito ao CD de Capoeira ao vivo da Casa Mestre Ananias.

Gratidão Katharina Doring por mais um belo trabalho e a todos os envolvidos nessa parceria e conexão.

Em honra e respeito aos nossos Mestres que sejam bem vindos!

Arte Cartaz: Terreiro da Bahia e montagem Giudeluca
foto: Guto Africanamente

terça-feira, 17 de outubro de 2017

DA ESMOLA CANTADA AO DIA DO CARURU


E foi assim, Cosme Damião saiu para passear nas ruas do Bixiga pelo 2º ano visitando os moradores em um gesto de fé e generosidade.


No 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida, a Casa Mestre Ananias junto aos Mestres Sambadores de Acupe / BA percorreram as casas de algumas famílias que acolheram essa cultura maravilhosa da Esmola Cantada.



Fica nossa gratidão por dividirem esse momento e nos receberem em suas casas, Pati/Tiago, Pai Francisco da Oxum, Dona Nair/Luzia, Família Taverna (Conchetta) e as benzedeiras do bairro Tia Eliza e Dona Inácia.



E após um dia todo caminhando e cantando por alguns kilometros embaixo de sol em homenagem a São Cosme Damião, Dona Maninha (aos 102 anos) e os Sambadores (na média dos 70 anos) no sábado foram cortar quiabo e preparar o Caruru aos que vivem em torno da Casa Mestre Ananias.

Muito obrigado Daniela por preparar sozinha o nosso almoço no dia da Esmola. 




E se "hoje é a vespa, amanhã é o dia" o segredo está aí... no preparo, nos cuidados e na entrega.





Seguindo o exemplo dos mais velhos alguns mais novos, bobos nem nada, obedecem certos princípios porque, para saber "certas coisas" antes precisamos saber "certas coisas".






E quem se mela no dendê saboreia outros sabores, sente outros cheiros, chora e sorri por motivos que nem sempre os olhos podem ver e as mãos podem tocar. 



Gratidão Mestre Ananias pelo legado herdado e aos mais velhos que nos honram a chance desse convívio. Também fica o agradecimento aos professores e membros da Casa pela força para continuar. 





A trupe de tearo "Os Naníacos" da Casa abrindo a Festa e quem fecha são os mais experientes com muito Samba de Roda do Garoa do Recôncavo e os Sambadores de Acupe.




Encerramos o projeto "São Paulo é Bahia Viva" pelo Ponto de Cultura com a XI Festa de São Cosme Damião. Porém o movimento continua como iniciado pelo nosso Mestre Ananias em 2000 na comunidade onde se estruturou nos últimos 10 anos, na Casa Mestre Ananias no bairro do Bixiga. 



fotos: Fabio Roussenq / Fê Guimarães / Giu LL